Troca da válvula termostática do QQ - Parte 1

Há alguns meses venho lutando contra o alto consumo do QQ. Já foram trocados a sonda de pré, cabos de velas, as próprias velas, limpeza de TBI e bicos, revisão sensor MAP... o carro não falha, não tem nenhum outro defeito que não esse consumo alto e a luz da injeção que acende às vezes - dias frios, principalmente - e se apaga logo. Minhas últimas médias não passam dos 7 km/L, imagina! De tanto apanhar com mecânicos que não compreendem todo o conceito de funcionamento da injeção eletrônica, fui atrás da sabedoria do guru Schiavon (falei dele lá no Instagram) que me deu uma super aula!

Resumindo a minha batalha, notei algo que nenhum dos mecânicos até agora havia notado: a temperatura de trabalho do motor. A primeira partida do dia, com o motor frio, faz com que o tempo de injeção aumente muito, queimando mais combustível para que a temperatura de trabalho ideal seja alcançada o mais rápido possível. Isso acontece graças a um componente que muita gente nunca ouviu falar: a válvula termostática. Ela é a responsável por manter o líquido de arrefecimento 'preso' dentro do motor para que a temperatura interna não sofra influência da externa, elevando rapidamente a temperatura do líquido, tornando o trabalho da central 'mais fácil'. A válvula termostática possui uma temperatura de trabalho específica para cada motor, no caso do QQ 1.1 16V (4 cilindros) é 82ºC. Quando o líquido de arrefecimento alcança essa temperatura, ela se abre, permitindo a troca de calor do líquido de arrefecimento que estava dentro do motor por meio do radiador de calor. Ao resfriar o líquido abaixo dessa temperatura, a válvula se fecha novamente, mantendo o líquido 'preso' novamente dentro do motor. Esse trabalho é realizado durante todo o tempo em que o motor está em funcionamento, mantendo todos os parâmetros corretos, tornando o consumo de combustível o mais eficiente possível. Me lembro de já ter feito 17 km/L na cidade, antes. Agora não passo dos 7!

Como saber se a válvula termostática está boa?
 
Um teste fácil é rodar com o carro até que a ventoinha - ou eletroventilador - acione. Pegue uma rodovia e dirija o mais rápido que for permitido e observe o marcador de temperatura do motor. No meu caso, só chega nas quatro primeiras barras, dificilmente passa disso em dias mais frios. Quando chega a acender a quinta barra do marcador de temperatura, se eu ando mais rápido, ela se apaga facilmente. O que isso significa?! Que o líquido de arrefecimento que deveria estar 'preso' no motor pela válvula termostática está circulando livremente, passando o tempo todo pelo radiador e sendo resfriado, voltando frio para dentro do motor, o que aumenta o tempo de injeção para tentar chegar à temperatura ideal de trabalho e que leva ao problema que nenhum mecânico se deu conta ainda: a luz da injeção acende porque a central entende que há um problema no sistema, já que o motor não consegue alcançar a temperatura correta mesmo após tanto combustível ser injetado...

Ou seja, tenho quase certeza de que vou resolver esse consumo elevando apenas substituindo a válvula, que pra minha sorte, travou aberta e não fechada. Senão eu estaria com um problema ainda maior: um motor fervendo. E antes que algum mexânico troca peça venha dizer que no Brasil não precisa de válvula termostática porque somos um país tropical, eu digo que precisa sim e que quem tira válvula de cliente pra resolver motor que ferve não está resolvendo coisa alguma. Pelo contrário, está trazendo outro problema... 

Já comprei a válvula original Chery, água desmineralizada e o aditivo para aproveitar a mão de obra. Quando fiz a troca do reservatório de expansão, também fiz a troca do líquido, que estava péssimo. Com o tempo, o líquido que coloquei passou a ficar sujo. Claro, ele fez seu trabalho e limpou o sistema de toda sujeira anterior. Agora, vou drenar tudo e colocar aditivo novo! Vou atualizando aqui e no Instagram!

I love my QQ

Troca dos cabos de ignição Chery QQ - peças inflacionadas!

Pois bem, ontem recebi o jogo de cabos de ignição que comprei na última sexta-feira. É uma medida quase desesperada para resolver esse consumo desenfreado do Kiki.

Claro que não encontrei nenhuma referência concreta na internet sobre esse fabricante, somente algumas poucas opiniões de compradores. Na caixa, diz ser fabricação nacional, será mesmo José?! O preço? R$ 109,90 com frete. Os originais Chery estão inflacionados e por aqui não encontrei nada mais barato do que R$ 400. Uma autorizada teve a audácia de me cobrar R$ 185 CADA CABO! Como não sei se vai resolver meu problema, optei por comprar algo mais acessível só por desencargo de consciência.

O material é convincente, boa resistência física e conectores muito parecidos com o formato original Chery. Cabos de 7mm preto (o fabricante possui opções de cores como vermelho, amarelo, azul etc.) com os mesmos comprimentos do cabo original Chery. No Aliexpress - onde comprei a sonda Delphi - encontrei cabos 'originais' - ou melhor, fabricados pelos mesmos chineses que vendem para a Chery superfaturar pra gente - a R$ 170 já com frete. A ideia é testar esses 'nacionais' e se der tudo certo, comprar esses 'originais' direto da China e ser feliz.

Na pior das hipóteses, não vai resolver meu problema. Mas nesse caso, pelo menos não deixei o Kiki numa oficina por uma semana ou mais pagando aqueles absurdos que não resolvem problemas.

Hoje faço a troca em casa, mais tarde. Vou dar algumas voltas pra verificar o funcionamento, deixar aquecer bacana o 16V e ligar novamente, pela manhã, no outro dia. Sabendo que mineiro é desconfiado por natureza, depois que trocar os cabos, vou rodar sem a tampa do motor e com os cabos originais que tenho no porta-malas, qualquer BO eu só encosto e troco.

Oremos.












E para comparar com os cabos originais Chery, seguem as fotos.






I love my QQ